domingo, 1 de maio de 2016

Professores Estaduais de Ipu entram em greve


Os professores das escolas estaduais de Ipu, Serra da Ibiapaba, jurisdição do CREDE 05 de Tianguá aderiram a greve em reunião da representação do Sindicato Apeoc na manhã desta quinta-feira (28/04). Como o Estado  não se pronunciou em nada sobre reajuste, veio esta atitude no Ceará.



Até onde o blog sabe, em Ipueiras não houve adesão, nem  em Matriz  na Serra, nem em Croatá. Guaraciaba até agora também não. 


Esta greve aos olhos deste Pedagogo não trará muitos benefícios não. Isto porque, o Estado já alardeia que o gasto com funcionalismo já está no limite prudencial (46%) ou seja, já passou do limite alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal faz tempo, que é de 44,10%. E com a crise as transferências vêm sofrendo cortes, principalmente do FPE.

Fotos: Ipu Notícias

O blog fala assim porque a folha da educação tanto nas prefeituras como nos Estados é responsável por grande parte do limite imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal no que se refere ao limite máximo de gastos com pessoal, tanto que existe uma pressão por parte da CNM para que o Congresso mude a legislação. Isso tem inviabilizado a máquina pública em todo o país.

O blog vai dar um exemplo: Vamos imaginar que o Município BebelCity em 2015 tenha entre transferências e arrecadação somado 20 milhões. Levando em conta o gasto de 69% do Fundeb com pessoal do Magistério, somou-se 8 milhões anuais (toda prefeitura hoje gasta bem mais que 60% com magistério). Como o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal é de 54% para prefeituras, somente podem ser gastos dos 20 milhões, 10 milhões e 800 mil. 

Ou seja, sobrou apenas 2 milhões e 800 mil para as demais secretarias, o que inviabiliza a administração. Aí o professor diz: mas o Fundeb  é específico. Sim, é, mas a conta da LRF leva em conta o conjunto todo e não, apenas uma parte como muitos pensam.



Dilma Rousseff vai anunciar reajuste de 5% na tabela do IRPF e 9,5% no Bolsa Família

Dilma realmente perdeu o juízo, está destrambelhada. Resolveu dar um aumento no Bolsa Família de 9,5%, mesmo contrariando a área técnica do Tesouro, visto que o Secretário Otávio Ladeira afirmou não ser possível do ponto de vista fiscal, o que ensejará um rombo em mais de um bilhão de reais.

Dilma com isso quer sair com uma imagem de boazinha, visto que o vice Michel Temer pretende reduzir o benefício apenas para os 5%  mais pobres. O que se percebe é que ela está igual aos prefeitos de cidades pequenas quando perde uma eleição para o adversário: saqueia a prefeitura, deixa-a endividada só para o mal do sucessor.

Dilma esquece que neste ponto de vista ela entra na história como vilã e não, como vítima como vem apregoando. Já no reajuste do Imposto de Renda, o Ministro Barbosa disse que pode compensar a despesa através de maior cruzamento de dados contra pessoa jurídica, ou seja, perde aqui mas ganha ali, embora ser necessário aprovação pelo Congresso Nacional.

O reajuste do Bolsa Família já valerá para junho deste ano. Dilma pretende assim deixar o vice em má situação (e o Brasil). Já o reajuste no imposto de renda só valerá para 2017.

Após queixas, MEC prorroga simulado do Enem até as 20h deste domingo

O MEC resolveu prorrogar o prazo do simulado do Enem para até 8 da noite deste domingo (01/05). O motivo foi o fato de muitos estudantes reclamarem da impossibilidade de acessar o site.

Neste sábado era inicialmente o último dia, as 8 da noite e apenas 150 mil estudantes tinham conseguido realizar o simulado. O aluno tem 4 horas para concluir as 80 questões disponíveis. O resultado e o gabarito são disponibilizados no final  da prova.

Obcecada pelo ‘golpe’, Dilma não gere o Estado

Desde que iniciou o seu segundo mandato, Dilma Rousseff persegue dois objetivos estratégicos: não cair e manter acesa a ilusão de que preside. Fracassou. Sua queda está programada para daqui a dez dias. E a simbologia do poder escorre na direção do gabinete do vice-presidente Michel Temer. Acéfalo, o governo do PT virou uma espécie de latifúndio improdutivo que o PMDB ocupa.
A caminho do cadafalso montado no plenário do Senado, Dilma anda tão ocupada em compor o enredo do “golpe” que já não lhe sobra tempo para presidir o Estado. Sua agenda está 100% dedicada ao esforço para grudar nos partidários do impeachment a pecha de “golpistas”. Ironicamente, a maioria dos usurpadores é composta de silvérios que Dilma chamava de “aliados” até ontem.
Convertido em advogado de Dilma em tempo integral, o ministro José Eduardo Cardozo (Advogacia-Geral da União) ecoou o discurso de sua chefe na comissão de impeachment do Senado. Irônico, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) disse que Cardozo não deveria falar em “golpe”. Sob pena de passar por ridículo, já que os golpistas estavam ali, de cara limpa, para testemunhar o exercício do direito de defesa da presidente, num processo regulado pelo STF. Tudo transmitido ao vivo pela tevê. (Josias de Souza)

sábado, 30 de abril de 2016

Croatá: começa neste sábado a festa de aniversário dos 28 anos, veja programação


Refrão de Bolero - Engenheiros do Hawaí


Croatá: Prefeitura paga nesta terça(30/04) o mês de abril aos servidores municipais

A Prefeitura Municipal de Croatá está realizando o pagamento do mês de abril de 2016 neste sábado (30/04) aos funcionários municipais com exceção dos que são lotados na Secretaria de Saúde.

O motivo é a queda de repasses e/ou atraso dos recursos desta área pelo governo federal. Todavia, fontes oficiais informam que os mesmos irão receber após o dia 04 de maio.

Muitas prefeituras estão com problemas de caixa para pagar seus funcionários. O motivo é muito simples: com a elevação do salário mínimo e outros reajustes sem a elevação das transferências por conta da queda de arrecadação em função da crise, bem como a taxa de inflação acaba que diluir os recursos. 

Para consultar seu salário, ligue de um telefone fixo: 0800 729 0001. Ou se preferir, de um celular: 4004 0001

Há 102 anos nascia o cantor, compositor e pintor brasileiro Dorival Caymmi


Governo do Ceará vai inaugurar presídio onde condenados vão ter que trabalhar

Hélio Leitão, Secretário
de Justiça do Ceará
Mudança de plano. A Casa de Privação Provisória de Liberdade (CCPL) – V, em Itaitinga, que seria mais uma a acomodar presos provisórias, agora abrigará condenados em regime fechado. 
As obras estão quase concluídas e a unidade terá capacidade para 1.016 presos. A ideia é que seja unidade modelo para que o preso, condenado nesse regime, trabalhe.
A Sejus fecha, inclusive, parceria com empresas que terão linhas de produção no presídio, com garantia de remuneração na forma da Lei de Execução Penal. A expectativa é operar no fim deste semestre.
Finalmente uma atitude positiva, pois o criminoso sem fazer nada acaba que ficando mais suscetível ao crime ainda. 

Estudantes do Ensino Médio podem fazer simulado do Enem pela internet

Está disponível neste sábado aos alunos do 3º Ano do Ensino Médio um simulado online onde o aluno tem 4 horas para fazê-lo e o aluno tem até 8 da noite para acessar o site e fazer a prova. 

São 80 questões envolvendo todas as matérias e até o dia do Enem, ainda vão ter 4 simulados, todos gratuitos. Os outros acontecerão nos dias 25 de junho, 13 de agosto, 8 e 9 de outubro. 



Geddel diz a aliados: ‘Não votou, a caneta come’

Sempre que lhe perguntam sobre a qualidade do ministério do provável governo do PMDB, Geddel Vieira Lima, articulador político de Michel Temer, responde: “Não vamos nos iludir, será o ministério possível.” Em conversa com um amigo, Geddel esmiuçou seu raciocínio: “Teremos uma equipe econômica que inspira confiança, um time palaciano experiente, um chanceler correto e bons nomes para Saúde e Educação. O resto vem com a negociação política.”
No epicentro das articulações, Geddel utiliza nas conversas com os representantes dos partidos uma franqueza desconcertante: “Tenho 30 anos nesse metiê. Sei como funciona. Não haverá renegociação todo dia. Definida a participação de cada um, vocês vão apoiar projetos que o governo enviará ao Congrresso. Não votou, a caneta come! Estamos entendidos?”
Em privado, o próprio Geddel revelou-se incomodado com a dificuldade de associar ideal e prática. Para não ficar “tudo igual”, o futuro ministro se empenhou para atrair os oposicionistas DEM e PSDB. Submetido às tradicionais hesitações do tucanato, Geddel desenvolveu para Aécio Neves, presidente do PSDB, um raciocínio aritmético. “Vocês podem ter os melhores projetos do mundo, mas não conseguiremos aprová-los no Congresso sem o pessoal do PP e do PR.”
Nos seus diálogos privados, Geddel gosta de recitar Lula, de quem foi ministro. “O Lula diz que o ideal seria vencer a eleição solito e, depois, governar solito. Mas isso é impossível. Se é assim depois de uma eleição, imagine a situação de um governo que assume por dever constitucional, depois de um impeachment.”(Josias de Sousa)